Na lona

Deitou-se na cama e chorou. Tudo estava acabado. Roque ainda insistiu: “Vem comigo”!

Mas Alice não teve coragem, embora estivesse perdidamente apaixonada.

Ir embora com ele seria deixar para trás sua família, bastante tradicional, e que defendia a vida estável e segura financeiramente.

No primeiro dia em que Roque chegou à cidade, logo se encontraram, cruzaram os olhares e nasceu aquele louco amor.

Alice, agora, chora de tristeza, mas sabe que a vida no circo não é fácil.

Talvez, um dia, o circo retorne à cidade, e ela possa reencontrar seu amado malabarista.

Por Marilani dos Santos Bernardes

……..
Texto integrante do projeto de exercício literário proposto pela Pragmatha Editora em suas redes sociais. Participe! Em caso de dúvida, converse com a editora Sandra Veroneze pelo e-mail sandra.veroneze@pragmatha.com.br

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp