Dupla sorte

Um cão enorme guardava a porta. Eu o via sempre assim ao passar defronte à casa, a qual ficava no meu trajeto para o trabalho.
Certa manhã não o vi. Apenas alguém nos fundos da casa ralhando: “seu cachorro inútil e imprestável”!
No outro dia, lá estava ele, guardando a porta. Parei em frente à grade. Ele, de pronto, veio até mim. Mas nenhum sinal de agressividade. Ao contrário: notei doçura em seu olhar.
Dias depois vi os proprietários fazendo a mudança. Parei em frente à casa é lá estava o meu amigo cão.
Um homem me viu e quis saber se eu queria algo. Respondi que estava apenas olhando o cachorro.

– Se lhe agrada, pode ficar com ele. Estamos de mudança e não queremos levar este trambolho!
Não pensei duas vezes.
Hoje não imagino minha vida sem essa adorável criatura, inteligente e amorosa, que nada tem de inútil e imprestável! Apenas estava na família errada.

Por Marilani dos Santos Bernardes

……..
Texto integrante do projeto de exercício literário proposto pela Pragmatha Editora em suas redes sociais. Participe! Em caso de dúvida, converse com a editora Sandra Veroneze pelo e-mail sandra.veroneze@pragmatha.com.br

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp