A vida por inspiração

Continuar curtindo a vida, valorizando todos os momentos, e dentro desse contexto continuar escrevendo e na medida do possível lançar mais algum livro, de repente na área de contos. Esses são os planos para o futuro da escritora Solange Grandini, autora Pragmatha. Nesta entrevista ela fala um pouco sobre seu processo criativo e a experiência de ter sido patrona de duas feiras do livro, em Glorinha e Santo Antônio da Patrulha, no Rio Grande do Sul.

Sandra Veroneze / Editora Pragmatha: Você tem mantido uma produção constante há bastante tempo. Você acredita na vivência, na experiência de vida, como diferencial para escrever bons textos?
Solange Grandini: Acredito nas possibilidades que cada pessoa tem ao escrever de manifestar sua maneira de ser, e claro que as experiências, o interesse, o hábito de ler, os contatos com pessoas e grupos da área da escrita enriquecem nosso vocabulário e nosso conteúdo literário.

Sandra Veroneze / Editora Pragmatha: Como é para você a questão de transpiração x inspiração no processo de escrita criativa?
Solange Grandini: Acho a inspiração imprescindível para o ato de escrever, mas claro que transpiração se faz presente e necessária. Para escrever temos que ter vontade, disciplina e um pouco de conhecimento dos gêneros literários, mas acima de tudo inspiração.

Sandra Veroneze / Editora Pragmatha: Em sua carreira literária você já lançou vários livros e foi patrona de feira do livro, recebendo inúmeras homenagens positivas de leitores. O que mais a encanta nesse universo?
Solange Grandini: O contato primeiro ao recebermos o convite já me encanta. Somos vaidosos, sim. Senti muito orgulho do meu trabalho e fico honrada por pessoas competentes e sérias me indicarem para patrona de feira do livro, elogiar meu trabalho. Mas o que mais me encanta é poder divulgar a importância da escrita através do meu trabalho, é receber de leitores o retorno de que gostaram, de que se identificaram com minha obra. Convites de escolas para projetos de autor presente, bate papo sobre a o quanto a leitura interfere em todas as disciplinas, isso me gratifica e sinto estar fazendo minha parte, colaborando um pouquinho para a valorização da escrita e da leitura.

Sandra Veroneze / Editora Pragmatha: O que você acha daquele ditado que na vida ao é completa depois de plantar uma árvore, fazer um filho e escrever um livro?
Solange Grandini: É um ditado, como já diz, mas não podemos generalizar. Já realizei esses três feitos, sou uma pessoa realizada e feliz, mas não quer dizer que pessoas que não cumpriram uma dessas etapas não tenham uma vida feliz e completa. Depende de cada um, de seus sonhos, de suas conquistas, de suas prioridades. O livro para mim era um sonho distante, com o tempo tomou forma e se concretizou, mas não me sentia incompleta por isso.

Sandra Veroneze / Editora Pragmatha: Quais são seus planos daqui para frente?
Solange Grandini: Continuar curtindo a vida, valorizando todos os momentos, e dentro desse contexto continuar escrevendo e na medida do possível lançar mais algum livro, de repente na área de contos que gostei de escrever.

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Fechar Menu
Whatsapp Chat
Envia via WhatsApp
×
×

Carrinho