A mulher do aplicativo

Desceu as escadas apressadamente depois de ter escutado o interfone soar. Finalmente, conheceria a mulher do aplicativo, Júlia, com quem há pouco conversava. Ju é linda, de cabelos pretos, olhos escuros, misteriosa. Digna de um concurso de beleza! Ana Paula estava preparada para o momento. Ao colocar a mão na maçaneta, ouviu uma voz que vinha lá de cima, do apartamento: “Ana, venha agora recolher suas bonecas”. Era seu pai, que jamais poderia saber que sua filha de 10 anos estava em um aplicativo de relacionamento para adultos.

Por Gilberto Broilo

……..
Texto integrante do projeto de exercício literário proposto pela Pragmatha Editora em suas redes sociais. Participe! Em caso de dúvida, converse com a editora Sandra Veroneze pelo e-mail sandra.veroneze@pragmatha.com.br

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp